• Siga-nos nas redes sociais

Reportagem: Som da Liberdade. Um filme sobre o tráfico de crianças

Reportagem: Som da Liberdade. Um filme sobre o tráfico de crianças

808 1140 Aliança Evangélica Portuguesa

No passado dia 11 de fevereiro, os jovens e adolescentes da Assembleia de Deus “Encontro Vida”, assistiram ao filme “Som da Liberdade”, uma longa-metragem que estreou em 2023 e que aborda a temática do tráfico de crianças. Eram dez e meia da manhã de domingo, quando os jovens e adolescentes da igreja Encontro Vida se reuniram para assistirem em conjunto ao drama “Som da Liberdade”, produzido pela Angel Studios.
Antes de darem início ao filme, os jovens aproveitaram para conviver uns com os outros enquanto esperavam por aqueles que ainda pudessem chegar. As expetativas estavam muito equilibradas, sendo que havia alguns que, primeiro, queriam ver o filme e depois desenvolver uma opinião, enquanto outros estavam ansiosos e um pouco curiosos para saber o que ia acontecer.
A igreja começou a ficar composta. Ouvia-se o barulho da napa das cadeiras à medida que os jovens e adolescentes se sentavam. A equipa de multimédia da igreja apagou as luzes, projetou a imagem no ecrã, aumentou o som e deu-se início ao filme. O silêncio já se sentia e via-se uma enorme concentração por parte dos espetadores para acompanharem os primeiros momentos da história.
O “Som da Liberdade” é uma longa-metragem baseada na história verídica de Timothy Ballard, um ativista contra o tráfico de crianças e, também, um dos principais responsáveis pela consciencialização do tráfico sexual e do que o mesmo envolve.
Tim Ballard é autor de diversos livros e pai de nove filhos, dois dos quais são adotados. Em 2013, fundou a organização sem fins lucrativos Operation Underground Railroad (OUR), a qual lhe concedeu o privilégio de resgatar milhares de vítimas da tragédia que define o tráfico humano.
Com o apoio das doações privadas, Ballard e a sua organização conseguiram salvar muitas vidas, no entanto, o processo nem sempre foi fácil.
No decorrer da sua atividade pelo mundo, Ballard enfrentou muitos problemas relacionados com as regras e as leis de cada país e ainda teve de lutar contra algumas autoridades locais, todavia, a compaixão pelas vítimas fê-lo manter-se firme e hirto na sua caminhada.
No filme, o ator Jim Caviezel, que representa Tim Ballard, decide dedicar a sua vida, exclusivamente, à missão de resgatar crianças vítimas de tráfico sexual na Colômbia.
Após conseguir resgatar Miguel, uma das crianças vítimas de uma rede de tráfico sexual, Jim fica a saber que a irmã de Miguel também foi raptada e é nesse momento que Jim decide abandonar o seu emprego e tudo o que tem para salvar a menina.
O grupo de liderança do ministério de jovens e adolescentes da igreja Encontro Vida, decidiu incluir o filme “Som da Liberdade” numa das atividades do segundo período do ano letivo de 2023/2024. Esta iniciativa surgiu da necessidade de “os jovens e adolescentes se saberem posicionar, enquanto cristãos, perante a dor do outro, o sofrimento e a injustiça no mundo. Serve também como reflexão de como se têm preocupado com as dificuldades das pessoas mais vulneráveis ao seu redor”, afirma João Beirão, um dos líderes da Geração Touch, o nome dado ao ministério de jovens e adolescentes da AD Encontro Vida.
Antes de o filme ser exibido na igreja, os líderes assistiram ao mesmo no cinema, o que deu para concluir que “não era chocante em termos de imagens e em termos gráficos, mas ao mesmo tempo retratava o tema de forma sensata, sem tirar a responsabilidade e o peso que este acarreta”, indica João Beirão.
A Bíblia alerta o cristão para esta realidade através de diversas passagens, sendo uma delas Deuteronómio 24:7: “Se for descoberto alguém que, havendo roubado um dentre seus irmãos, dos filhos de Israel, e tenha escravizado ou vendido, esse ladrão morrerá. Assim, exterminarás o mal do meio de ti”.
O livro de Deuteronómio foi escrito por Moisés, na época em que o povo de Israel andava pelo deserto, antes de ir para a Terra Prometida por Deus a Abraão.O capítulo 24 em específico, transmite a ideia de que a justiça deve ser sempre equilibrada e demonstra uma grande misericórdia e compaixão com os direitos dos mais vulneráveis.
Este capítulo da Bíblia também enfatiza a importância da vida e da dignidade humana para Deus, Aquele que é sempre Justo e o Consolador do seu povo. O bem-estar dos mais necessitados e a justiça para com o povo são duas características salientadas neste versículo.
Outros exemplos de passagens bíblicas que referem que o cristão deve procurar fazer justiça pelos outros são Mateus 19:19: “…Amarás o teu próximo como a ti mesmo”; Efésios 4:32: “Antes, sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo”; Provérbios 31:8-9: “Abre a tua boca a favor do mudo, a favor do direito de todos os desamparados. Abre a tua boca, julga retamente, e faze justiça aos pobres e aos necessitados”; Isaías 1:17: “Aprendei a fazer bem; procurai o que é justo; ajudai o oprimido; fazei justiça ao órfão; tratai da causa das viúvas”, entre muitos outros.
O livro de Mateus foi escrito por volta do ano de 50 d.C., pelo próprio apóstolo e relata o início da vida de Jesus na terra e também os primeiros passos da igreja inicial.O capítulo 19 tem o seu contexto na região da Judeia e relata o encontro de Jesus com um jovem rico que lhe perguntou o que era necessário para herdar a vida eterna, ou seja, viver para sempre com Deus. Em resposta, Jesus referiu a importância de os seus seguidores renunciarem tudo em prol de uma vida de comunhão com Ele e também destacou a obediência aos dez mandamentos, que se encontram em Êxodo 20:1-17.  É precisamente aqui que Jesus diz ao jovem que ele devia amar o próximo como a si mesmo.
No que toca a Efésios 4:32, a epístola de Paulo aos crentes de Éfeso foi escrita entre os anos de 60 e 63 d.C. pouco depois do livro de Mateus. O principal objetivo de Paulo ao escrever esta carta foi poder dar ferramentas e ensinamentos sólidos para todos os cristãos em Éfeso que procuraram ser mais parecidos com o carácter de Jesus Cristo.
Consequentemente, no capítulo 4 deste livro, Paulo realça a união que os cristãos devem ter uns com os outros. O apóstolo indica que a vida de Cristo no crente leva a que o mesmo seja uma pessoa benigna, que pratique atos de bondade e que tenha a capacidade de perdoar os erros que os outros cometem contra ele, tal como Deus fez com toda a humanidade.
Em relação ao livro de Provérbios, este está inserido no Antigo Testamento e foi escrito pelo Rei Salomão por volta do ano de 900 a.C.
O capítulo 31 cita os ensinamentos que a mãe do Rei Lemuel, um dos reis mencionados em Provérbios, lhe concedeu.
Especificamente nos versículos 8 e 9, a mãe de Lemuel aconselhou-o a lutar por aqueles que, por diversos motivos, não conseguiram ter Voz na sociedade. Encorajou-o a fazer justiça pelos necessitados e a cuidar deles.
Por último, para contextualizar o livro de Isaías, é necessário dizer que este também está enquadrado no Antigo Testamento da Bíblia e que foi escrito pelo próprio profeta no ano de 900 a.C.
Na época em que Isaías escreveu esta obra, a nação de Judá, que habitou na terra de Jerusalém, passou por um período de forte rebeldia contra Deus e a mensagem que o profeta passou foi a de arrependimento e reconciliação com o Senhor.
Isaías exortou o povo a fazer o bem e a lutar pelas causas dos mais necessitados, contrastando a condição de pecado atual do povo com as bênçãos que o mesmo poderia ter ao obedecer a Deus e ao que Ele pretendia.
O grupo da Geração Touch, ainda inclui alguns adolescentes, mas essa nunca foi uma justificação para ocultar a realidade que o filme passa. De acordo com João Beirão, “o confronto com o real é muito necessário para os mais novos conhecerem o mundo em que vivem e para que pensem no que estão a fazer no seu dia-a-dia para amar mais o próximo. É fundamental não deixarmos de ter sensibilidade para com o outro”, alega o líder de jovens e adolescentes.
O filme apela ainda para o cuidado que os jovens e, especialmente, os mais novos devem ter com a Internet. Muitos adolescentes são seduzidos a participar em concursos e em atividades, sem terem a plena noção do esquema que está por trás e por isso “a mensagem também é boa nesse sentido, porque nos leva a pensar sobre o uso que damos à Internet e ás redes sociais”, declara João Beirão.
Após uma hora e meia de filme, as luzes voltaram a estar acesas e o ecrã foi desligado. A reação dos jovens foi de alguma reflexão sobre o que tinham acabado de assistir. “Eu tinha ideia de que este tema era real, mas não sabia que o número de crianças afetadas pelo tráfico humano e sexual a nível mundial, era tão elevado”, refere a jovem Ana Sofia Sousa, estudante de mestrado em investigação biomédica.
Miguel Pires, estudante de 13 anos e um dos adolescentes que também faz parte do grupo, afirma que este filme lhe deu uma nova perspetiva em relação à preocupação geral dos pais para com os filhos. “Por vezes os pais não nos deixam sair com os nossos amigos por preocupação e realmente é verdade, quando estamos lá fora não sabemos o que pode acontecer”, indica.
Os dois jovens admitiram ter concordado com esta iniciativa por parte da sua igreja local, pois “não é um assunto muito falado no meio cristão e é necessário”, diz Ana Sofia. Já Miguel, considerou que “foi uma atividade importante para termos noção do que se passa a nível global”.

Ministério de jovens e adolescentes da AD Encontro vida
12/03/2024

error: Conteúdo Protegido!