• Siga-nos nas redes sociais

Artigos Gerais

Os cristãos e o estado de emergência

856 501 Aliança Evangélica Portuguesa

O estado de emergência é uma medida constitucional de suspensão de direitos dos cidadãos, podendo ser declarado em casos de exceção, designadamente “de calamidade pública” (art.º 19.º, n.º 2, da Constituição); só quando as situações sejam de maior gravidade pode ser decretado o estado de sítio.

O n.º 4, do art.º 19.º, da Constituição prescreve que a declaração e execução do estado de emergência “deve respeitar o princípio da proporcionalidade e limitar-se, nomeadamente quanto às suas extensão e duração e aos meios utilizados, ao estritamente necessário ao pronto restabelecimento da normalidade constitucional”.

A declaração de estado de emergência não concede discricionariedade aos agentes de autoridade, pois deve conter “a especificação dos direitos, liberdades e garantias cujo exercício fica suspenso” (art.º 19.º, n.º 5, da Constituição).

Além de ser limitado no tempo (máximo de 15 dias, ainda que passível de renovação pelo número de vezes necessário, caso se mantenham os pressupostos), “em nenhum caso pode afetar os direitos à vida, à integridade pessoal, à identidade pessoal, à capacidade civil e à cidadania, (…) e a liberdade de consciência e de religião” (art.º 19.º, n.º 6, da Constituição).

Assim, é possível que a declaração de estado de emergência imponha a ordem de permanência na habitação, será admissível a saída em situações de “força maior” ou “necessidade”, designadamente para comprar alimentos, produtos farmacêuticos, ir ao médico, trabalhar, cuidar de idosos ou menores que estejam dependentes ou sejam vulneráveis.

Quanto à liberdade de consciência e de religião, o art.º 41.º, n.º 1, da Constituição prescreve que é inviolável. “Ninguém pode ser perseguido, privado de direitos ou isento de obrigações ou deveres cívicos por causa das suas convicções ou prática religiosa. Ninguém pode ser perguntado por qualquer autoridade acerca das suas convicções ou prática religiosa” (art.º 41.º, n.º 2 e 3, da Constituição).

A declaração de estado de emergência não pode proibir a prática de culto religioso, celebração de funerais ou casamentos. Mas pode estabelecer restrições do número máximo de pessoas reunidas, bem como à adoção de medidas organizacionais que consistem em evitar multidões, dependendo das dimensões e características dos locais, de modo a garantir aos assistentes a possibilidade de respeitar uma determinada distância (v.g. 1 metro ou mais). Atualmente, ainda sem estado de emergência, ao abrigo das medidas de exceção aprovadas em Conselho de Ministros, já é proibida a reunião com 100 pessoas ou mais; a declaração do estado de emergência pode impor uma restrição ainda maior (50, 30, 20).

Sabemos que “mais importa obedecer a Deus do que aos homens” (Atos 5:29). A obediência (a Deus) é a evidência da nossa confiança em Deus, pois Ele é Fiel (1Coríntios 10:13; 1João 1:9), nos confirma e guarda do maligno (2Tessalonicenses 3:3); Ele mantém a Sua aliança e bondade eternamente (Deuteronómio 7:9). Por causa da Sua fidelidade, podemos crer nas Suas promessas (Hebreus 10:23); “a palavra do Senhor é verdadeira; Ele é fiel em tudo o que faz” (Salmo 33:4).

A declaração de emergência, contudo, não impede que falemos da Bíblia, da salvação que há em Cristo Jesus, que comuniquemos das diversas formas disponíveis, incluindo as redes sociais, videoconferência, etc..

Por outro lado, de acordo com Romanos 13:1, os cristãos devem submeter-se às autoridades, sabendo que “quem resiste à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação” (Romanos 13:2).

Devemos ser exemplo perante o mundo; não podemos ser causa de escândalo nem desordem; “sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza” (1 Timóteo 4:12); “Admoesta-os a que se sujeitem aos principados e potestades, que lhes obedeçam e estejam preparados para toda boa obra; que a ninguém infamem, nem sejam contenciosos, mas modestos, mostrando toda mansidão para com todos os homens” (Tito 3:12).

Obedeçamos às autoridades, sejamos o exemplo e não a causa de dano algum, pois dessa forma também obedecemos a Deus, orando e vigiando (Mateus 26:41) — “Vigiai, estai firmes na fé; portai-vos varonilmente, e fortalecei-vos (1 Coríntios 16:13).

Efésios 6:5-8, 10,11 13-18:
“(…) obedecei a vosso senhor segundo a carne, com temor e tremor, na sinceridade de vosso coração, como a Cristo, não servindo à vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus;
Servindo de boa vontade como ao Senhor e não como aos homens, sabendo que cada um receberá do Senhor todo o bem que fizer, seja servo, seja livre;
(…) No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo; (…)
Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes.
Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça, e calçados os pés na preparação do evangelho da paz; tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno.
Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus, orando em todo tempo com toda oração e súplica no Espírito e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos”.

Joel Pereira
Juiz

Convocação à Igreja para Um Dia de Oração e Jejum Nacional – 22 de Março, Domingo

967 628 Aliança Evangélica Portuguesa

“Seja corajoso! Vamos lutar com firmeza pelo nosso povo e pelas cidades do nosso Deus. E que seja feita a vontade de Deus, o SENHOR!” I Crónicas. 19:13

Tempo de tomar uma posição.

Estamos a viver dias difíceis, com o país a sofrer com a pandemia do covid-19. Como Igreja, não o podemos ignorar e somos impelidos a tomar uma atitude e a interceder pela Nação, conforme a Bíblia assim nos indica. Simultaneamente, as igrejas locais devem manter uma postura ativa de apoio solidário para com os mais necessitados. Portanto, Oração e Ação caminham juntas!

Ao constatarmos isso, temos que nos posicionar, sabendo que Deus não abandonou a Sua Igreja, mas requer dela um posicionamento. A Bíblia diz: “Pela bênção dos sinceros se exalta a cidade; mas pela boca dos ímpios é derrubada” (Provérbios. 11:11). Vejamos então alguns desses posicionamentos:

Em primeiro lugar, vamos separar um momento de oração!

Que em cada igreja, em cada casa, seja separado o dia 22 de Março para um tempo de oração em jejum, em favor da nossa Nação, das autoridades, da Igreja, das famílias, dos profissionais de saúde e das pessoas infetadas. Também a favor da nossa economia e, que todos em conjunto, possamos em concordância ao meio-dia clamar a Deus.

Esta é a oração de Davi, pedindo paz para a cidade: “Haja paz dentro de teus muros, e prosperidade dentro dos teus palácios” (Salmos 122:7). Devemos pedir ao Senhor que coloque um muro de proteção em volta desta nação, de cada lar e da Igreja. Por isso, e mais do que nunca, é importante que o povo de Deus da nossa nação se junte em oração, discernindo o tempo em que vivemos. O inimigo de nossa alma tenta intimidar-nos e destruir-nos, por isso é importante que a Igreja se levante como povo de Deus e com autoridade espiritual na cidade e na nação.

Precisamos acordar para este momento que é vital, pois enquanto as autoridades terrenas têm tentado impedir o avanço desta peste, a autoridade instituída por Deus na terra, que é a Igreja do Senhor, tem, por intermédio da oração e também de ações práticas, o poder para impedir que esta destruição continue e aumente, repreendendo e resistindo a esses poderes.

Por isso o nosso clamor: “Tem misericórdia de mim, ó Deus, tem misericórdia de mim, porque a minha alma confia em Ti; e à sombra das tuas asas me abrigo, até que passem as calamidades” (Salmos 57:1)

Em segundo lugar, que haja arrependimento!

É importante que haja arrependimento e que a Igreja peça perdão, pelo pecado e pelos atos de injustiça da nação, pois o pecado e a injustiça em qualquer nível leva à violência. Suplicamos a intervenção e a misericórdia de Deus. Clamemos ao Deus de paz, pela nossa casa, pela nossa rua, pelo nosso bairro, pela nossa cidade, pela nossa nação, pelas autoridades do nosso país, para que sobre eles venha sabedoria vinda do Senhor, lembrando que a oração do justo pode muito em seus efeitos. “… orai uns pelos outros, para que sareis; a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” Tiago 5.16.

Igreja,

O Senhor convoca-nos para este tempo especial para que, em unidade e intercessão, juntos possamos curvar-nos com o rosto em terra e humilharmo-nos diante do nosso Deus, para que Ele sare a nossa nação. Vamos atender a esta convocação do Senhor. Vamos posicionar-nos numa oração sincera para que nós, e nossa família e país, possamos todos experimentar uma visitação de Deus.

Em Cristo nós somos autoridade. N’Ele somos a diferença. “….e se o Meu povo, que se chama pelo Meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a Minha face, e se desviar dos seus maus caminhos, então Eu ouvirei do céu, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.” (2Crónicas 7:14)

Que Deus vos abençoe, no Nome de Jesus.

Por uma nação coberta com oração;

Unir para Agir e Mobilizar para Transformar!

Pr. Samuel Fernandes

Coordenador da assessoria de oração da Aliança Evangélica Portuguesa

Vamos orar!

1029 768 Aliança Evangélica Portuguesa

Vamos orar!

  1. Pelo fim do avanço do COVID 19;
  2. Pelos profissionais de saúde;
  3. Por todos aqueles que estão doentes;
  4. Pelas nossas autoridades e respetivas decisões;
  5. Pelas famílias enlutadas;
  6. Pela igreja em Portugal e em todo o mundo;
  7. Oportunidade para partilhar as Boas Novas;
  8. Para que não haja uma recessão económica.

2 Crónicas 7:13-15

Oração em tempos de crise do COVID-19

644 312 Aliança Evangélica Portuguesa
Em nome da Aliança Evangélica Mundial, o seu Secretário Geral Bispo Efraim Tendero fez a seguinte oração neste tempo de pandemia de Covid-19.

Nosso Deus Pai Todo-Poderoso, Criador do Céu e da Terra, como Teus filhos que vivem em todos os cantos do mundo, estamos hoje diante de Ti para interceder pelas nossas nações, atualmente quase todas afetadas ou ameaçadas pelo COVID-19. Louvamos-Te porque não dormes nem descansas, e guardas os nossos países e os nossas populações, especialmente em tempos perigosos como estes.

O nosso socorro vem de Ti. Clamamos pela Tua misericórdia e pela Tua proteção contra este vírus. Declaramos que somente Tu és o nosso refúgio – o nosso lugar de segurança. Oramos para que protejas a nossa população desta doença mortal e que salves as nossas terras desta perigosa armadilha.

Concede aos governos e aos vários líderes nacionais e locais a sabedoria e o entendimento ao estabelecerem e implementarem diretrizes, medidas e estratégias no combate ao COVID-19.

Capacita as nossas autoridades de saúde e equipas médicas com a Tua força e poder, enquanto atendem os doentes e os que estão vulneráveis, e faz com que que esta pandemia passe rapidamente. Dirige os médicos cientistas de todo o mundo que trabalham com todo o esforço para encontrar o antídoto para o COVID-19.

Nestes tempos de insegurança, concede-nos a Tua graça e paz para permanecermos calmos e vencermos o medo, porque o espírito de temor não vem de Ti. Em vez disso, Tu nos deste fé, esperança e amor. Tu nos deste poder e uma mente sadia. A Tua palavra diz “Tu guardarás em perfeita paz aquele cujo propósito está firme, porque em Ti confia.”

Ajuda-nos a refletir a imagem de Jesus Cristo ao cuidar dos menos abastados, que já dificilmente podiam comprar as suas necessidades diárias e ficam vulneráveis à medida que pessoas mais ricas colocam as lojas vazias. Move-nos para estender abnegadamente o conforto e ajudar os solitários e isolados, assim como nós recebemos conforto de Ti em momentos de dificuldade.

Por fim, oramos para que, no meio desta pandemia, Tu nos una em amor, juntes as nossas nações em paz e tragas esperança e cura para as nossas terras com a Tua graça e o Teu poder. Em nome de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, oramos, AMÉM.

Bispo Efraim Tendero

Secretário Geral

Aliança Evangélica Mundial

Os mais de dois bilhões de cristãos atuais no mundo são representados por três órgãos da igreja mundial. A Aliança Evangélica Mundial (WEA em inglês) é uma delas, servindo a mais de 600 milhões de evangélicos. Lançada em 1846 para unir evangélicos de todo o mundo, a WEA continua a ser um movimento dinâmico, com 9 alianças evangélicas regionais e 134 nacionais e mais de 150 organizações membros. A missão da WEA é estabelecer e fortalecer alianças evangélicas regionais e nacionais, que por sua vez capacitam a sua Igreja nacional a promover as Boas Novas de Jesus Cristo e a realizar transformações pessoais e comunitárias para a glória de Deus.

Para mais informações, visite Worldea.org

Adiado Fórum Evangélico 2020

1080 1351 Aliança Evangélica Portuguesa

O Fórum Evangélico 2020 que inicialmente estava agendado para 17 e 18
abril foi adiado para nova data a indicar brevemente.

Esta alteração deve-se ao facto de estarmos a atravessar um momento
delicado em que, por precaução e recomendação da DGS, devemos adotar
certos cuidados, nomeadamente evitar concentração de muitas pessoas em
espaços fechados. Desejamos e oramos para que esta situação seja
ultrapassada. E, assim que possível, agendaremos nova data para a
realização do Fórum Evangélico 2020, dos respetivos workshops, concertos
e EXPO Evangélica.

Mais informações brevemente.

Listagem das Igrejas da Semana Universal de Oração 2019

1280 720 Aliança Evangélica Portuguesa

[atualizado: 6 de janeiro de 2019]

Entre os dias 13 a 20 de janeiro decorrerá a Semana Universal de Oração. Na lista abaixo poderá conhecer as localizações de cada uma das reuniões do evento e os seus respectivos horários.

 

NORTE

 

Porto – cidade

Dia 19 de Janeiro – Sábado às 16H às 18H (alterar o horário anterior)

Comunidade da Paz – Porto

Rua Monte Alegre, 183 – 4250-301 Porto

Concerto de Oração – Jovem

 

Porto – cidade

Dia 17 de Janeiro – 5ª Feira às 20:30H

Igreja Corpo do Messias (Remar)

Rua de Santos Pousada, 658 – 4000-480- Porto

 

 

Vila Nova de Gaia

Dia 17 de Janeiro 5ª Feira às 21H

Igreja Baptista de Vila Nova de Gaia

Rua Soares dos Reis,41 – 4400-315

 

Lamego

Dia 19 de Janeiro – Sábado às 20H

Igreja Evangélica Manancial

Rua Dr. Gonçalves da Costa, 20 R/C – 5100-189

 

Maia

Dia 16 de Janeiro – 4ª Feira às 21H

Igreja Evangélica em Águas Santas

Rua Mosteiro 2100 – 4425-140 Águas Santas

Pregador: Pedro Costa

 

Braga

Dia 19 de Janeiro – Sábado às 10H

Igreja Missionária de Braga

Rua Dr Arnaldo Leite Machado – Nogueira 4715-180 – Braga

 

Viseu

Dia 16 de Janeiro – 4º Feira às 21H

Assembleia de Deus

Rua Nova da Balsa, Quinta da Asseca BI 2 Cave

Pregador: Pr. Edson

 

Aveiro

Dia 13 de Janeiro – Domingo às 11:30H

Igreja Batista de Aveiro

Rua Tenente Resende, 29 -3800-269

Pregador: Ancião Joel Silva

 

Dia 20 de Janeiro – Domingo às 10:30H

Centro Cristão Vida Abundante

Centro Comercial Oita – Av. Doutor Lourenço Peixinho, 146 (Antigo Cinema) 3800-160 Aveiro

Pregador: Pr. Pedro Jorge

 

Dia 20 de Janeiro – Domingo às 17H

Igreja Metodista Wesleyana

Rua de São João, – Aveiro

Pregador: Pr. Manuel Jacinto Joana

 

Leiria

Dia 16 de Janeiro – 4ª Feira às 21H

Assembleia de Deus

Rua Pedro Álvares Cabral, Lote 39C-Quinta da Alçada 

Pregador: Pr. Bruno Malheiro

 

Coimbra

Dia 18 de Janeiro – 6ª Feira às 21H

Assembleia de Deus

Rua do Corvo, 73

Pregador: Carlos Cunha

 

Ribatejo

Alverca

Dia 20 de Janeiro -Domingo às 15:30H

Assembleia de Deus

Rua José Antunes, nº 7

Pregador: Pr. Samuel Fernandes

 


GRANDE LISBOA

 

Aguas Livres (Buraca) – Amadora

Dia 13 de Janeiro – Domingo às 10H

Assembleia de Deus

Estrada de Alfragide, 6A

Pregador: Pr. Rodrigues Pereira

 

Lisboa

Dia 13 Janeiro – Domingo às 18H

Catedral da Esperança

Av. Mar. Gomes da Costa 27, Olivais

Pregador: Pr. Samuel Fernandes

 

Lisboa

Dia 16 Janeiro – 4º Feira às 10H

Aliança Evangélica Portuguesa- Sede

Av. Conselheiro Barjona de Freitas, 16-B 1500-204 Benfica

Oração Pastores

 

Odivelas

Dia 13 de Janeiro – Domingo

Em cada Igreja

 

Dia 14 de Janeiro – 2º Feira às 21H

Ministério Kairos

Rua 25 de Abril, 40 – Quinta da Várzea, Olival Basto

 

Dia 15 de Janeiro – 3ª Feira às 21H

1. D. Libertando Vidas

Rua 25 de Abril, 1 – Quinta da Várzea, Olival Basto

 

Dia 16 de Janeiro 4ª Feira às 20:30H

Assembleia de Deus Odivelas

Av. D. Dinis, 68 A – Centro Comercial Oceano, Loja 66 – Cave- Odivelas

 

Dia 17 de Janeiro – 5º Feira às 21H

1. D. Ministério de Santos

Rua Jorge Sena, 3 E -2675-392 Odivelas

 

Dia 18 de Janeiro – 6ª Feira às 21H

Doulos – Igreja Cristã

Rua Heróis de Chaimite, 7- Odivelas

 

Dia 19 de Janeiro – Sábado às 21H

Sementes Reino dos Céus

Rua Heróis de Chaimite, 7 – Odivelas

 

Carcavelos

Dia 16 de Janeiro – 4ª feira às 20:30H

Igreja Baptista da Parede

Rua Machado dos Santos, 365- 2775-236 Parede

Pregador: Pr. Eddie Fernandes

 

Lisboa

Dia 18 Janeiro – 6º Feira às 21H

Nova Aliança

Av. Gomes Pereira, Nº53 A, 1500-328 Lisboa

Pregador: Pr. Samuel Fernandes

Agualva – Cacém

Dia 20 de Janeiro – Domingo às 17H

Encontro Vida – Assembleia de Deus

Rua Agualva dos Açores, 5

Pregador: Pr. Tito Silva

 

Mem Martins

Dia 20 de Janeiro – Domingo às 18H

Missão Cristã Internacional- Sintra

Rua Santos Carvalho, Armazém A, São Carlos

Pregador: Pr. Samuel Fernandes

 


SUL

 

Almada

Dia 19 de Janeiro – Sábado às 19:30H

CAP- Comunidade Apostólica e Profética

Rua Joaquim Jorge Pires, 26 A – Feijó

Pregador: Pr. Samuel Fernandes

 

Barreiro

Dia 17 de Janeiro – 5ª Feira às 21H

Assembleia de Deus

Rua Dom Manuel de Melo, 2

Pregador: Pr. Samuel Fernandes

 

Évora

Dia 18 de Janeiro – 6ª Feira às 21.00H

Centro Cristão Vida Abundante

Quinta dos Barreiros, Armazém Nº 5

Pregador: Pr. Josué da Ponte

 

Algarve

 

Faro

Dia 18 de Janeiro – 6ª Feira – 20:30H

Missão Betesda

Rua S. Luis, n.º 9

Pregador: Pr. Neilson Amorim

 

Loulé

Dia 16 de Janeiro – 4ª Feira – 20:30H

Igreja Evangélica Assembleia de Deus

Rua Dr. Barata, A – 8100-693 Loulé

Pregador: Pr. Rodolpho Lima

 

Quarteira

Dia 17 de Janeiro – 5ª Feira – 20:30H

Assembleia de Deus

Rua da Infância,14 – 8125-228 Quarteira

Pregador: Pr. Ricardo Bezerra

 

Olhão

Dia 17 de Janeiro – 5ª Feira – 21H

Igreja Evangélica Missionária

Rua 18 de Junho,86

Pregador: Bruno Rebelo

António Calaim | Festival da Esperança 2018

600 330 Aliança Evangélica Portuguesa

A procura por um lugar no Festival da Esperança tem sido tão grande, que resolvemos abrir uma segunda sessão no domingo, dia 8 de Abril, às 19h! Não percas esta oportunidade de estar presente neste evento e fica atento porque os bilhetes vão ficar disponíveis em breve e vão voar! Vem e #fazparte!

www.festivaldaesperança.pt

Rodrigues Pereira | Festival da Esperança 2018

1280 720 Aliança Evangélica Portuguesa

A procura por um lugar no Festival da Esperança tem sido tão grande, que resolvemos abrir uma segunda sessão no domingo, dia 8 de Abril, às 19h! Não percas esta oportunidade de estar presente neste evento e fica atento porque os bilhetes vão ficar disponíveis em breve e vão voar! Vem e #fazparte!

www.festivaldaesperança.pt

Josué da Ponte | Festival da Esperança 2018

1254 816 Aliança Evangélica Portuguesa

A procura por um lugar no Festival da Esperança tem sido tão grande, que resolvemos abrir uma segunda sessão no domingo, dia 8 de Abril, às 19h! Não percas esta oportunidade de estar presente neste evento e fica atento porque os bilhetes vão ficar disponíveis em breve e vão voar! Vem e #fazparte!

www.festivaldaesperança.pt

 

Feliz Páscoa – António Calaim | Presidente AEP

1280 720 Aliança Evangélica Portuguesa

error: Conteúdo Protegido!