• Siga-nos nas redes sociais

Ame-se! – Cindi Ângelo

Ame-se! – Cindi Ângelo

960 720 Aliança Evangélica Portuguesa

“Amarás o teu próximo como a ti mesmo…”
Marcos 12:31

Essas palavras ratificadas por Jesus, parecem ser tão fáceis de ser vividas, mas na prática não o são. Elas estavam na Lei de Moisés (Lv 19:18) porque Deus queria que a medida do amor que sentimos e demonstramos pelos outros, fosse a mesma que temos em nós e por nós. O caminho não pode ser inverso, e a verdade é que não conseguimos amar verdadeiramente os outros se primeiro não nos amarmos a nós mesmos. Como cuidaremos dos outros, se não cuidamos de nós próprios? Como ajudaremos as pessoas a serem sanas, se vivemos com o nosso mundo interior tão bagunçado?

É bem verdade que não é fácil ter um equilíbrio entre o amor saudável e o ego, entre o pensar mais em si e menos de si. Entre querer para os outros aquilo que quer para si mesmo.

Como podemos declarar que nos amamos se temos tão pouco cuidado com a nossa própria vida?

Não é fácil, mas é possível! Com Cristo é possível! É possível amarmos os outros com a mesma medida que nos amamos.

Um dos conselhos que Paulo deu para o seu filho na fé, Timóteo, foi: “Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem” (1 Tm 4:16).

Muitas pessoas lutam para satisfazerem os seus desejos e apelos da sua natureza, acreditando que estão a fazer bem a elas, mas devido ao estilo de vida que levam, fica evidente que fazem mais mal a si mesmas do que bem.

Precisamos de refletir e concluir, que, quando não cuidamos de nós mesmos, estamos a afetar negativamente a vida de muitas outras pessoas. É por isso que precisamos primeiro cuidar de nós mesmos.

Deus nos constituiu de 3 partes distintas, mas que estão interligadas entre si. Nós somos um espírito, que tem uma alma e habita num corpo. Estas 3 partes precisam de ser bem cuidadas por nós. Paulo nos diz: “E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Ts 5:23).

A primeira coisa que o Espírito Santo nos quer dar para tornar mais fácil a administração do nosso ser como um todo, é a sua paz. Sem ela, o nosso mundo vira de pernas para o ar e tudo tende a sair fora do seu lugar. Sem ela, a ansiedade toma conta dos nossos pensamentos e o caos pode instalar-se.

Essa paz não se compra no supermercado, nem se adquire com técnicas de relaxamento ou com pensamento positivo; ela é um presente de Deus para nós. Jesus disse: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize” (Jo 14:27).

A paz é também o resultado do novo nascimento que acontece em nós quando o nosso espírito (quem realmente somos) é recriado por Deus, ao convidarmos a Cristo para ser o Senhor do nosso coração. A sua paz toma conta do nosso espírito e nos sentimos como meninos, nascidos de novo, realmente, pois identificamos a presença de Deus em todos os momentos na nossa vida.

A seguir, a nossa alma (nossa mente, emoções e vontades) também vai sendo colocada em ordem, porque compreendemos que o nosso passado foi redimido e o nosso futuro é garantido.

A nossa alma sente paz porque ela crê que Deus tem o melhor para cada um dos seus filhos. O novo nascimento nos transporta para o Reino de Jesus, e a natureza do seu Reino é “justiça, paz e alegria no Espírito Santo” (Rm 14:17). Passamos a ter uma nova família, novos amigos, novos irmãos. Esse meio onde passamos a conviver, torna-se não apenas um grupo religioso, mas também terapêutico; afinal, os bons relacionamentos podem nos curar…

Aos poucos as feridas da alma, as lembranças dolorosas que trouxeram o ressentimento (sentir de novo), momentos dolorosos, traumas profundos, vão sendo curados pelo poder da sua paz, que nos ajuda a ser mais que vencedores. Você já prestou atenção na palavra “vencedores”? Aqueles que vencem dores. Deus faz isso connosco. Ele nos dá um novo espírito, um espírito de superação que olha para frente, para adiante, para o futuro promissor e abençoado que está à nossa espera.

Como filhos de Deus podemos acreditar que tudo nEle é progressivo, é de “fé em fé, de glória em glória, de triunfo em triunfo” (2 Co 1:24, 2:14,3:18).

Colocar a nossa alma em ordem é o grande desafio do Espírito Santo, e creio que ele ama esse desafio, pois já vê a sua obra-prima concluída com êxito!

Quando o nosso espírito e a nossa alma estão em ordem, podemos ter mais determinação em cuidar do nosso corpo, que é o “templo ambulante de Deus”.

Pense comigo: Como podemos declarar que nos amamos, se trabalhamos mais horas do que o nosso corpo consegue suportar? Ou quando dormimos tão pouco, comemos tão erradamente, somos tão sedentários ou temos uma vida tão desregrada…

Eu comecei este artigo a dizer que as palavras de Jesus não eram fáceis de serem vividas, mas graças a Deus, que, com a sua ajuda, elas são possíveis. É possível nos amar e amarmos os outros como a nós mesmos.

Shalom!

Cindi Ângelo
Licenciada em Teologia, escritora, missionária e pastora da Igreja Metodista Livre.