• Siga-nos nas redes sociais

Do Entulho ao Restauro – Priscila Ferreira

Do Entulho ao Restauro – Priscila Ferreira

1280 800 Aliança Evangélica Portuguesa

“Usarão o entulho do passado para construir de novo, recontruirão (…) Serão conhecidos como aqueles que reparam qualquer coisa, restauram ruínas antigas, reconstroem e renovam, tornam a comunidade habitável outra vez.” Isaías 58:11-12 (adaptado AM)

Num mundo onde a superioridade e o egoísmo parecem querem suplantar-se há, ao que podemos observar, o desprezo e desinteresse. Tanto pelo que já não é considerado o “último grito da moda” como (e muito mais grave) o desacreditar dos que, por razões que nos são alheias, falharam ou até mesmo desistiram de viver, resultando na degradação do percurso de vida e consequente entrega a determinado vício. Podemos concordar que “saber viver” é talvez o maior desafio de todos e o nosso “segredo” está realmente em Deus. Fora d’Ele jamais fará sentido.

Uma mesinha de cabeceira, julgada inútil, fora de moda e sem valor, estava atirada num monte de entulho dentro da mata. Não sei quanto tempo terá ficado ali, ao ponto de estar cheia de caruncho (térmita da madeira) e empenada. Foi lá que o meu pai a encontrou. Acabou por trazê-la com a ideia de que poderia “salvá-la”. O cenário era desanimador, o caruncho tinha provocado uma série de estragos! Porém, a verdadeira Esperança não se rende. Foi um processo detalhado e moroso, do lixar até ao pormenor do acabamento, em cada etapa, com muita paciência. E o resultado?? Bastante inspirador! A convicção era que no lixo o meu pai achou o “tesouro”.

Todos os dias nos cruzamos com pessoas que estão tal e qual esta mesinha, como entulho rotulados de lixo. Vivem sem esperança. Porém, foi-nos confiada a responsabilidade de “recolhê-las” ao lugar de Esperança, Jesus. Estes não são somente os sem-abrigo, são a vizinha do lado, a professora, a colega de trabalho e também a senhora do café.

É inexplicável o privilégio de ser alguém que testemunha em “primeira mão” diariamente o «restauro de ruínas» (Isaías 58:12). Por ser tal um privilégio, não podemos de forma nenhuma ser egoístas. Esta Esperança que «Repara qualquer coisa» e que «Usa o entulho (…) para construir de novo» é O bem precioso que temos de partilhar! Não no que apenas falamos, mas na forma como vivemos e amamos aqueles à nossa volta. É um processo moroso mas o resultado final é largamente recompensador!

 

Priscila Ferreira