• Siga-nos nas redes sociais

Quem Criou o Sorriso? – Clarisse Barros

Quem Criou o Sorriso? – Clarisse Barros

960 640 Aliança Evangélica Portuguesa

A família era grande. Havia muitas crianças. Um bebé de colo e vários outros filhos já em idade escolar e pré-escolar. Naquele dia, estavam todos em casa. Todos, menos o pai. Onde está o pai? A trabalhar. Outra vez? Mas hoje é sábado… Sim, mas o pai trabalha por turnos, só vem à noite, muito tarde, quando já todos estiverem a dormir. Ah, pois é…

A mãe tinha as costas curvadas por causa do peso do bebé e ia realizando algumas tarefas com uma mão apenas. Parecia muito cansada. Tinha aquele ar pesado e triste de quem está exausta e preocupada. As duas rugas verticais vincadas no meio da testa mostravam às crianças que ela não estava com capacidade para brincar, nem tolerar traquinices. Os filhos mais velhos estavam a fazer desenhos e a ver televisão. Estava tudo sossegado…

A criança de quatro anos, porém, estava pensativa. Aproximou-se e ficou a observar a mãe, em silêncio, durante alguns momentos, com os seus grandes e lindos olhos castanhos. Depois, uma pergunta aparentemente muito simples quebrou esse silêncio breve entre mãe e filha:

  • Mãe, quem criou o sorriso? Foi Jesus? – perguntou a pequenita.
  • Sim, foi Jesus. – Respondeu a mãe.
  • Então, por que é que nós cá em casa nunca sorrimos?

A esta nova pergunta da menina a mãe não conseguiu responder. Já não se lembrava de como era bom sorrir… Já não ouvia as suas próprias gargalhadas há muito tempo. Pensou: “Ela tem razão… Deixámos de sorrir nesta casa… Quando foi que eu deixei de sorrir? Quando foi que comecei a mostrar aos meus filhos que aqui em casa não há lugar para sorrisos?”

Olhou à sua volta vagamente e disse à menina que fosse para junto dos irmãos. Enquanto a pequenina se afastava, as lágrimas correram pelo rosto da mãe, como um regato que desliza, sem parar, sobre as pedras do seu leito. E a mãe olhou de novo à sua volta. Olhou com mais atenção para o amontoado de cabecinhas pequenas, que eram a sua maior razão de viver, e percebeu que lhes devia um sorriso. Cada uma daquelas crianças era um presente de Deus na sua vida. Todas diferentes e todas tão especiais! Mesmo que as circunstâncias fossem difíceis, mesmo que houvesse muitos problemas para resolver, mesmo que os desafios parecessem maiores do que as suas forças, ainda havia espaço e motivos para a gratidão e para a alegria. E lembrou-se das palavras registadas na Bíblia, em Filipenses 4:4, sublinhadas pela sua própria mão: “Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos.”

“(…) portanto, não vos entristeçais, porque a alegria do Senhor é a vossa força.” (Neemias 8:10)

Sim, Deus criou a alegria! Ele mesmo é a nossa fonte de alegria, o motivo e a força por detrás do nosso sorriso.

Não sei o que aquela mãe vai fazer acerca do seu sorriso, mas espero que volte a sorrir. Sei que todas nós precisamos de momentos de pausa para contar as bênçãos do Senhor sobre a nossa vida e para sorrir de novo. O sorriso semeia a simpatia, a tranquilidade e a alegria. A alegria gera a força que conduz à vitória (em Deus, pela fé). Precisamos disso.

Se for necessário, reaprenda a sorrir!

 

Clarisse Barros
Professora e Escritora