• Siga-nos nas redes sociais

Orações Que Não Se Perdem – Carmina Coias

Orações Que Não Se Perdem – Carmina Coias

960 640 Aliança Evangélica Portuguesa

Aquele momento era particularmente precioso. Costumava acontecer à noite. Sentávamo-nos na nossa sala, e ali fazíamos o nosso culto doméstico. O meu marido pegava na sua Bíblia de capas pretas, lia alguns versículos e depois orávamos. Recordo-me bem da forma convicta e detalhada como o meu marido falava com Deus. Ele mencionava o nome de cada filho e de cada neto diante do Senhor, pedindo-lhe a Sua bênção, a Sua protecção.

Entretanto, ele partiu para estar com Deus. Contudo, acredito que cada uma daquelas orações ainda estão válidas diante do Senhor. Na Sua sábia e soberana acção, não existe a tecla Delete/Apagar. Nada do que lhe oferecemos ou levamos em oração se desvanece ou se perde. Nada é apagado. As nossas palavras sinceras permanecem diante Dele, guardadas na Sua memória.

Assim sucedeu com Cornélio. Ele era um homem que orava. Era frequente trazer diante do Senhor as suas petições, os seus anseios. Algumas ainda permaneciam por responder mas ele persistia no seu clamor ao Senhor. Certo dia, foi surpreendido pela visita de um anjo, que lhe disse: “As tuas orações e as tuas esmolas têm subido para memória diante de Deus;” (Atos 10:4)

Em memória diante de Deus… Mesmo que ainda não tivessem sido respondidas, não estavam esquecidas diante Daquele que tudo sabe e tudo pode.

Há quanto tempo Isabel e Zacarias haviam orado, pedindo um filho? Não sabemos, mas possivelmente há muito, pois agora já eram idosos. Teriam sido orações da sua juventude, possivelmente. O anjo disse: “Zacarias, não temas, porque a tua oração foi ouvida, e Isabel, tua mulher, dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João. E terás prazer e alegria, e muitos se alegrarão no seu nascimento.” (Lucas 1:13-14)

A oração de Zacarias fora ouvida! O facto de ainda não haver resposta não significava que a oração se perdera algures, entre a terra e o céu. Não! As suas palavras haviam chegado à presença do Poderoso Deus. E, anos depois, ali se estavam a cumprir.

Ao falar com Deus, David pensava nas palavras que pronunciava. O que lhes aconteceria? Dispersar-se-iam no ar como partículas minúsculas que o vento espalha, fazendo-as rodopiar até virem, finalmente, a repousar no chão? Não! Ele sentia que as suas palavras subiam diante Dele como o fumo perfumado do incenso aceso. E disse, certa vez: “Suba a minha oração perante a tua face como incenso, e as minhas mãos levantadas sejam como o sacrifício da tarde.” (Salmo 141:2)

David não estava enganado. Muitos anos ,mais tarde, o apóstolo João teve essa revelação e conta-nos o que viu: “tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos.” (Apocalipse 5:8) Ah, as orações, aos milhares, não se haviam perdido. Como material precioso, enchiam salvas de ouro.

Que preocupações temos levado diante de Deus, em oração? Há quanto tempo? Estão diante Dele!

Vamos continuar a orar, sem desfalecer. Palavras sinceras diante de Deus, são preciosas para nós e para Ele. “… a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus.” (Salmo 51:17)

E, no tempo certo, a resposta virá pois “a oração de um justo pode muito em seus efeitos.” (S. Tiago 5: 16)

Precisamente hoje, dia 25 de Maio de 2018, faríamos 60 anos de casados! Este artigo é também uma homenagem, ao meu marido, Pastor Miguel Coias – uma vida de dedicada ao Senhor e a servir os outros, em humildade e amor.

Carmina Coias
Missionária